Pós operatório em cirurgia de Varizes
13 de setembro de 2018
Show all
Artigo de Dr Bruno Varotto.

Varizes dos membros inferiores

Dr. Bruno Nobre Varotto.

   As veias varicosas podem ser fonte de considerável morbidade para o ser humano, levando a dor crônica, incapacidade, produtividade reduzida, e o declínio da qualidade de vida. Além desses problemas ainda produzem os chamados problemas cosméticos (estéticos).
   Veias varicosas são veias subcutâneas frequentemente palpáveis e dilatadas, mais comumente encontradas nas pernas. Estima-se que afetem no mínimo 1/3 da população.
   Em algumas pessoas as varizes não causam sintomas ou causam poucos sintomas, mas em outras elas causam dor, inchaço, coceira e podem diminuir a qualidade de vida. As varizes tornam-se mais severas com o passar do tempo e podem levar a complicações como pigmentação da pele, dermatites, tromboflebite superficial, sangramento e ulceração.
   Quanto à evolução das varizes para úlceras venosas, segundo alguns estudos aproximadamente 3-6% das pessoas que têm veias varicosas apresentarão úlceras.
   Os fatores de risco para o desenvolvimento de veias varicosas não estão claros, embora o prevalência aumente com a idade e elas frequentemente aparecem durante e gestação.
   O tratamento das varizes pode ser dividido em tratamento clínico e o tratamento cirúrgico. O tratamento clínico envolve o uso de medicações venotônicas (agem nas veias) e meias elásticas de compressão. As modalidades de tratamento cirúrgico constituem: cirurgia convencional com a retirada da safena por meio de cortes na virilha e tornozelo, cirurgia termoablativa (laser e radiofrequência) na qual constituem-se métodos menos invasivos sem necessidade de incisões para a sua realização e por último a escleroterapia com espuma ( polidocanol) também um método menos invasivos e muito realizado ultimamente.
   Tanto as técnicas termoablativas ( laser e radiofrequência ), quanto a escleroterapia com espuma são técnicas consideradas menos invasivas . São técnicas novas, efetivas e seguras, além de muitas vezes poderem ser realizado em nível ambulatorial (consultório). Estas técnicas minimamente invasivas se mostraram tão efetivas quanto a cirurgia convencional, com a vantagem de propiciarem uma recuperação mais rápida e serem menos dolorosas no pós-operatório.
   Cada um desses métodos têm riscos inerentes bem como suas limitações. Complicações tromboembólicas são complicações mais sérias associadas aos tratamentos das varizes, incluindo a trombose venosa profunda, e a embolia pulmonar. Daí a necessidade do acompanhamento do cirurgião vascular especialista neste tipo de doença para a correta avaliação e tratamento deste tipo de problema.
   Nos próximos artigos publicados aqui na página pretendo falar sobre cada forma de tratamento das varizes de membros inferiores de forma mais aprofundada.

1 Comentário

  1. Ana Maria Peixoto disse:

    Muito bom!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *